o som das cartas - 2018

o som das cartas

Desde que ela morreu, ele tornou-se prisioneiro de suas lembranças, cartas que nunca foram lidas reacendem um vazio inexplicavelmente cheio da presença dela, ele a vê em tudo, até quando se olha no espelho. “o som das cartas” conta  a história  de um homem que após a morte de sua mulher tornou-se prisioneiro de suas lembranças, 20 anos se passou e ele ainda está limitado a repetição do contar e reconstruir sua história de amor, alegrias, perdas e devaneios.

 

Nossa primeira apresentação cênica da obra foi para o palco como o monologo “Salve-me” em 2011, no Festival Santista de Teatro – FESTA, temporada na cidade de São Paulo e circulação por teatros e espaços alternativos do interior de São Paulo e Grande São Paulo. Em 2012 o monologo foi convidado para representar o Brasil no XXXVII Festival Internacional de Teatro de Oriente (FITO/2012) - Venezuela.

Em 2013, estreamos “o som das cartas que não li” a partir do estudo sobre a primeira pesquisa monologo, nesta nova perspectiva, a esposa morta vem a cena, a música do espetáculo agora tocada ao vivo, passa a interagir como personagem viva que modifica a atmosfera e a temperatura das cenas. 

Esta leitura fez temporada pelo Proac-SP na Cidade de São Paulo no teatro Heleny Guariba e circulação por 08 Cidades do interior de São Paulo. Ainda em 2013 participou do 10º Festival Nacional de Teatro de Duque de Caxias-RJ, com prêmios de 3º melhor espetáculo e prêmio especial de atuação (Messias Carvalho), XXXVIII Festival Internacional de Teatro de Oriente (FITO/2013) – Venezuela e Satyrianas. 

 

Em 2014 “o som das cartas” foi convidado especial para a 5ª Mostra Movimento Continuo – Bogotá – Colômbia, como experimento de elenco misto (Brasil/Colômbia), as personagens Morta e Música foram interpretadas pelas atrizes Bogotanas Natália Ruiz e Stefania Marin. 

2015 retoma curta temporada no Teatro Heleny Guariba na cidade de São Paulo. A adaptação e estudos dos contos “A Morta” e “Suicidas” de Guy de Maupassant, para a construção do espetáculo “o som das cartas” completa em 2019 oito (08) anos de pesquisa em repertório, e desde sua primeira leitura mostrou-se como uma obra em constante mutação.

Em 2018 o projeto ganhou outras possibilidades, novas releituras em sua encenação desde a primeira temporada de 2011, novas atmosferas com a atriz JAQUELINE PAIXÃO e do músico ALEXANDRE ARAGÃO na direção musical do espetáculo para esta nova caminhada do projeto.

 

 

O projeto “Ática Jovem" tem como objetivo abrir as portas dos processos de produção e criação artística da Cia Ática para jovens e iniciantes no teatro que buscam aperfeiçoamento e formação para se inserirem neste circuito tão competitivo, seja no palco, ou mesmo nas áreas técnicas de produção de um espetáculo de teatro.

saiba mais sobre este projeto e conheça nosso corpo de aprendizes clicando aqui!

 

Nossos Parceiros:

                  

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!